Notícias

Unitaid investe 50 milhões de dólares para combater malária

13/09/17
Saúde
13/09/17

 

A organização  Innovation in Global Health (Unitaid), com sede em Genebra, Suíça, apresentou, ontem, em Maputo, ao primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, um programa piloto de prevenção da malária para mulheres grávidas. A iniciativa, que vai abranger quatro países africanos, está orçada em 50 milhões de dólares.

Sanne Fournier, representante da organização, disse à imprensa que o encontro com o primeiro-ministro serviu para formalizar o lançamento do novo programa de luta contra a malária, que consiste no tratamento preventivo para mulheres em estado de gravidez.

O projecto, cujo arranque está previsto para o mês de Outubro, terá a duração de três anos, abrangendo, na fase piloto, as províncias de Nampula, Sofala e Maputo.

De acordo com dados apresentados na ocasião, em África, mais de 35 milhões de mulheres grávidas estão expostas ao risco de contrair a malária, sendo que o tratamento preventivo é uma prioridade e Moçambique foi escolhido para liderar o projecto.

A escolha de Moçambique para o arranque da iniciativa deve-se, segundo Sanne Fournier-Wendes, à liderança política do país, uma vez que, segundo disse, neste tipo de projecto, é determinante que o ministério da saúde seja muito forte e bastante convencido sobre as intervenções a fazer. E Moçambique, desde o primeiro momento, respondeu afirmativamente relativamente à importância deste projecto nas comunidades.

Dados actuais indicam a redução do número de óbitos, entretanto, o governo continua preocupado com o facto de, nos primeiros três meses do ano, Moçambique ter registado 2.281.635 casos de malária, contra 1.873.303 de igual período de 2016.

 

Fonte: Jornal O País