Notícias

upSCALE: plataforma móvel de saúde comunitária expandida ao nível nacional

13/04/18
Saúde
13/04/18

APE usando o aplicativo como recurso de consulta a uma criança, em Inhambane

 

A upSCALE é uma plataforma de saúde digital que usa o CommCare, um aplicativo para smartphones com o objectivo de apoiar o Agente Polivalente Elementar (APE), no diagnóstico e tratamento de doenças ao nível comunitário. A aplicação reforça a conexão entre os APEs com o sistema de saúde, particularmente com o seu supervisor directo.

Os APEs são membros da comunidade que foram treinados para prestar cuidados básicos de saúde nas aldeias remotas onde vivem. Os agentes atendem a todas as faixas etárias em diferentes áreas como: Malária, diarreia, tuberculose, HIV, planeamento familiar, cuidados na gravidez e pós-parto, além de realizar exames de rotina (em crianças saudáveis) e encaminhar os casos de desnutrição aguda, recém-nascidos e grávidas com sinais de perigo para a unidade sanitária mais próxima.

A upSCALE cobre todas as áreas de actuação dos APEs e possui uma versão especial para os seus supervisores, fortalecendo ainda mais o vínculo entre os agentes e a unidade sanitária. A versão permite que os supervisores possam monitorar a qualidade do serviço oferecido, gerir o estoque de medicamentos dos APEs e ajudar na solução de problemas.

Actualmente, a upSCALE está a ser implementada em todos os distritos das províncias de Inhambane e Cabo Delgado. O Programa Nacional dos Agentes Polivalentes Elementares prevê que a plataforma seja ampliada para todo o país até 2020.

“O nosso objectivo é que até 2020 tenhamos a plataforma completa e que todos os APEs e supervisores tenham acesso a esta plataforma em todo o país. Também esperamos que os gestores dos níveis distritais, provinciais e nacional, possam visualizar no Sistema de Informação de Saúde para Monitoria e Avaliação (SIS-MA), todos os dados produzidos pelos APEs”, disse o Dr. Humberto Rodrigues, director nacional do programa.

A upSCALE vem sendo desenvolvida desde 2012. A extensão do acordo de cooperação entre as organizações parceiras de implementação – Malaria Consortium e UNICEF – estendeu-se de Novembro de 2017 para Novembro de 2018, permitindo assim a incorporação dos dados estatísticos produzidos pela plataforma no SIS-MA, para monitoria, avaliação e facilitação da integração da aplicação com o Ministério da Saúde.

Os APEs estão aumentando o acesso da população aos serviços básicos de saúde, com uma carga significativa de casos. A integração dos dados ao SIS-MA permitirá que todos os gestores relevantes no Ministério da Saúde visualizem os dados em tempo real para análise e tomada de decisões e monitoria das políticas de saúde pública.

“Fiquei muito impressionado! Vi que o telemóvel está completo para me ajudar a fazer mais do que imaginei. Actividades de planeamento familiar, acompanhamento das mulheres grávidas, diagnosticar e tratar doenças como a malária, diarreia e pneumonia, assim como seguimento das pessoas com tuberculose e HIV para referir ao hospital. Estou muito feliz porque isto vai ajudar, é fácil e orienta bem o APE a trabalhar. Qualquer coisa ao iniciar é um desafio, mas ao andar do tempo vou me inteirar e vou conseguir”, disse o APE Salvador, de 56 anos, o mais velho da turma formada em Vilanculos no uso da aplicação.

Em 2018, a Malaria Consortium tem o seu foco em fortalecer as capacidades dos actores distritais, provinciais e nacionais dentro do Ministério da Saúde para maximizar o uso da upSCALE, o que é essencial para preparar a entrega da gestão da plataforma às autoridades nacionais de saúde. Quando a transição da gestão for concluída, Moçambique será o primeiro país em África a expandir o seu sistema de saúde comunitária a este nível.